Cultura das máscaras

Essa é uma tradução adaptada de aminoapps.com.

Razões históricas

As máscaras faciais foram adotadas pela primeira vez no Japão, como reação à pandemia de gripe espanhola em 1918, que matou entre 257 000 e 481 000 pessoas por lá. Os lenços e véus foram também adoptados como meio de proteção. Logo, tornou-se uma prática frequente após cada surto de doença subsequente.

Após o terramoto de Kanto em 1923, o ar ficou cheio de cinzas e fumo durante semanas, pelo que as pessoas adotaram máscaras faciais já que a qualidade do ar estava ruim.

Com a industrialização na década de 1950, os níveis de CO2 e de pólen no ar aumentaram, tornando as máscaras um hábito. Foram também tornadas obrigatórias a nível escolar e distribuídas ao público em geral. Assume-se então que, lentamente, foi se tornando familiar.

Diz-se então que a prática se propagou a outros países como a China, Taiwan, Coreia do Sul, etc. Durante o surto de RAE de 2003, toda a Hong Kong a usou. Durante a pandemia de gripe de 2009, ainda mais japoneses começaram a usar máscaras com regularidade.

À medida que se tornaram mais populares e comuns, as razões para o uso de máscaras foram crescendo para além do seu objetivo inicial.

Sociedade Consciente

Imagine ter de viajar em trens cheios de suor e tosse todos os dias - para o viajante médio numa cidade agitada como Tóquio, as máscaras faciais tornaram-se uma forma de evitar germes, alergias e poluição nas cidades. Também podem ser usadas nos aeroportos pela mesma razão - evitar germes, especialmente quando se é uma celebridade que é obrigada a manter-se em forma enquanto está exposta a ambientes estrangeiros de viajar para novos países a toda a hora.

Etiqueta

É obrigatório usar máscaras quando se está doente, mesmo em casa, e é considerado indelicado não o fazer. Os valores do uso de uma máscara resultam da responsabilidade e da consideração de não propagar qualquer doença a outras pessoas. Uma explicação para isso é o papel de 氣 (Qi) na medicina e filosofia da Ásia Oriental, como a força vital que forma um ser vivo. Traduzindo literalmente para “respiração” ou “ar”. Proteger e manter o “qi” é dito para trazer saúde e bem-estar.

Obstáculos sociais

Já usou auriculares mesmo quando não há música a tocar, só para evitar conversas? O papel das máscaras faciais no mundo moderno alterou-se bastante. Usa-as e é como enviar uma mensagem às pessoas à tua volta de que não queres ser incomodado.

Esconder a tua identidade

Tanto para as celebridades como para as pessoas normais, as máscaras são úteis quando não estão a usar maquiagem. Além disso, quase as ajuda a serem incógnitas.

Moda

Não há como negar que as máscaras faciais se tornaram uma tendência em si. O valor da moda é bastante óbvio, e é por isso que mesmo os adolescentes saudáveis a usam.

Os utilizadores gostam da forma como realçam os olhos e acrescentam um ar de mistério. Agora que estão disponíveis no mercado em diferentes cores e estampas, as máscaras faciais tornaram-se mais um acessório do que qualquer coisa puramente funcional.

Lembra-se do Taehyung e da sua máscara de urso fofo? ♡

No Japão, だてマスク (Da-teh Masuku) ou “Just for Show Mask” é o nome da tendência em que as pessoas jovens ou saudáveis em geral usam máscaras simplesmente para o apelo visual. Não são apenas os ídolos, mas também as pessoas normais que adotaram este visual, mas os ídolos certamente ajudam a acelerar a ideia, dado o seu sentido de moda popular e extenso.

Em 2014, a estilista chinesa Yin Peng lançou a sua coleção de vestuário desportivo com uma série de máscaras faciais diferentes, cunhando o termo “Smog Couture” e confirmando oficialmente a tendência excêntrica mas crescente.

As vendas destes artigos estão a aumentar ao longo do tempo, tornando-os uma visão diária nos países da Ásia Oriental e, portanto, parte de um fenómeno dos dias modernos como um acessório que se mantém na sociedade há quase 100 anos.

Essa é uma tradução adaptada de aminoapps.com.